Agora é guerra: sindicatos convocam servidores e população para irem à luta contra a terceirização da Saúde

Publicado em 03 de fevereiro de 2018 às 12:08

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre (Sintesac) em conjunto com os demais sindicatos que compõem a frente de luta “Fórum Viva SUS" fecharam questão e vão à luta contra a terceirização dos serviços de saúde, o pagamento dos salários atrasados, o fechamento de postos de trabalho e demissões. Com o slogan “O momento é agora: ou você vem com a gente lutar ou vai para rua”, os sindicatos preparam uma grande manifestação para o dia 15 de fevereiro, à 8h00 em frente à Secretaria de Saúde do Estado do Acre (Sesacre).

Encaminhamento dado em reunião é que seja feito uma grande manifestação dia 15

A reunião do comando de luta unificado, realizada na manhã desta sexta-feira (2) na sede administrativa do Sintesac, contou com a participação do Spate, Sindmed, Coren-AC, Sintetac, Sindifac, Sindacs, Conselho Estadual de Saúde e representante do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), dentre outras instituições e representantes de diversos setores da Saúde Pública.

A luta é pelo acesso à saúde e o SUS

O presidente do Sintesac, Adailton Cruz, sindicato ligado à Saúde e com o maior número de filiados, destacou que vai empenhar todos esforços na luta contra a terceirização dos serviços de saúde, pois a medida deve afetar principalmente ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS).



“Em todos os lugares do país onde este tipo de gestão foi implantada está com problemas absurdos, pois não há como fiscalizar nem a quantidade quanto mais a qualidade dos serviços prestados. E com isso vai haver a consequente queda nos serviços e quem vai pagar somos todos nós”, destacou Adailton.

Campanha de esclarecimento

Os sindicalistas e os representantes dos servidores presentes à reunião decidiram realizar uma campanha de esclarecimento da população, onde será mostrado que a precariedade no atendimento aos usuários se dá pela falta de qualidade na gestão dos recursos por parte do governo do Estado e da Sesacre e não por conta dos servidores, como o governador tem tentado mostrar.



“Não podemos esquecer que o governador Tião Viana vai manter a mesma quantidade de recursos para esta empresa terceirizada. Ao repassar a gestão, o governador mostra a total incompetência naquela que deveria ser a saúde de primeiro mundo e sequer chegou perto da saúde do terceiro mundo”, comentou Adailton.

“Ou vem para luta ou vai para à rua!”

O presidente do Sintesac destacou que o momento agora é de luta, tanto para servidores quanto para a população em geral: “Agora é guerra. Ou barramos este absurdo da terceirização ou vamos pagar com nossa saúde mais à frente. Não tem opção, seja para servidor ou usuário: ou vem para a luta ou vai ficar na rua!”.

Adailton finalizou dizendo haver pouco tempo para barrar este absurdo do governo petista de Tião Viana e a gestão temerária de Gemil Júnior frente a Sesacre: “Eles empurraram tudo goela abaixo, sem discutir ou perguntar e por isso temos de ir todos para o enfrentamento, pois todos somos usuários do SUS".