Diretora da Maternidade impede acesso do Sintesac às dependências da Maternidade

Publicado em 11 de outubro de 2016 às 15:34

Servidores foram trancados em uma sala e com segurança na porta para impedir o sindicato de participar, mas isso não impediu a ação do Sintesac

Diretora da Maternidade impede acesso do Sintesac às dependências da Maternidade

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre (SINTESAC) teve seu direito legal de acompanhar seus filiados quando requisitado para tal ao ser barrado pela diretoria da Maternidade Bárbara Heliodora (MBH). A diretoria da MBH pretendia impor uma série de alterações na ações dos servidores sem discutir o tema com o representante.

Conforme revelou o presidente da comissão provisória do Sintesac, João Batista, ele foi surpreendido por telefonemas durante a noite de ontem dando conta de uma reunião entre a diretoria da MBH e os servidores, mas sem comunicar os sindicatos.

“Por conta disso, fomos para acompanhar nossos filiados, pois nos alertavam da retirada dos repousos nos plantões de 12 horas, sem que resolvessem os problemas do local do repouso. Além disso, a diretora agora quer impedir os momentos de repouso e, para isso, está usando de uma regra sabe-se lá de onde. Nem mesmo tempo para alimentação está sendo concedido”.

João Batista revelou que no local foi constatado todo o tipo de problema, desde vazamentos na rede hidráulica até colchões espalhados pelo chão em um alojamento conjunto, misturando homens e mulheres no mesmo local.

SINTESAC foi impedido de participar da reunião por vigilante“Mas o principal problema foi quando tentamos participar da reunião, com portas fechadas, pois fomos impedidos por vigilante na porta. Depois de tentarmos por vários minutos em entrar pacificamente para defender nossos colegas e sem resultado, precisamos forçar a entrada”. 

Segundo João Batista, a diretora somente por pouco não agrediu a diretora do Sintesac, Francinete, mas chegou a lhe apontar o dedo no rosto. Por conta do impasse, até mesmo a Polícia Militar foi chamada, mas não chegou a entrar no prédio. 

A situação dos servidores da MBH agora está em um impasse entre a diretoria e suas imposições e a posição do sindicato em defesa das condições de trabalho. A diretora do Sintesac, Francinete, destacou que antes de exigir qualquer coisa, o Estado precisa ofertar as condições de trabalho.



Após serem barrados pela direção da MBH, os membros do Sintesac e do Spate foram até a Aleac onde denunciaram o abuso. Eles se reuniram com o deputados Raimundinho da Saúde e Eliane Sinhasique, de quem receberam o apoio. Ramundinho prometeu inclusive apresentar uma lei para garantir o acesso dos sindicatos em qualquer órgão onde haja servidor filiado.