Presidente do Sintesac denuncia desmonte na saúde: fecharam o ambulatório do PS do Huerb

Publicado em 01 de fevereiro de 2018 às 16:07

O desmonte do serviço de atendimento à saúde para a pessoas carentes e que não contam com plano de previdência privada já começou por parte do governo do Estado: foi determinado o fechamento do setor de ambulatório do Pronto Socorro (PS) do Hospital de Urgência e Emergências de Rio Branco (Huerb). A denúncia partiu do presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre (Sintesac), Adailton Cruz.

O sindicalista ressaltou que para atender aos acordos políticos e manter milhares de cargos comissionados em um período de crise, o governador ataca os serviços vitais para a população, começando pelo desmonte da saúde.

Fim de uma história de atendimento

Adailton revelou que a partir de hoje (quarta-feira/30) não há mais serviço de atendimento ambulatorial no PS do Huerb. A ordem emitida pela Secretaria de Saúde do Estado do Acre (Sesacre) praticamente fechou todos os setores de atendimento ao público. 

“Ficou apenas uns 40% dos trabalhadores no acolhimento e na recepção do PS, reduzindo também a quantidade nas emergências adulta e pediátrica. Os cortes ainda atingiram todas as enfermarias. E tudo para manter os cargos comissionados. E a ordem teria sido para reduzir o atendimento em todo o Estado e fechar os setores de atendimento ao público”, informou Adailton.

Desmonte vai atingir os mais pobres

“O desmonte da estrutura já começou. Ao invés de cortar cargos comissionados de importância questionável, para dizer o mínimo, como na Secretaria de Assuntos institucionais [SAI], o governador decidiu de penalizar o serviço de saúde”, destacou.

O presidente do Sintesac ressaltou que o fato de fechar o ambulatório do Huerb vai atingir principalmente as camadas mais pobres da população, pois são estes os que buscam atendimento no local: “Quem tem plano de saúde privado, não vai sentir, mas a população carente vai ser atingida com a atitude do governo do Estado”.

Entrevista coletiva e ações em defesa da saúde

O sindicalista aproveitou o grave momento para convidar toda a imprensa do Estado para uma entrevista coletiva a ser realizada na próxima sexta-feira (2), às 9h00, na sede do Sintesac. O encontro será com o comando unificado do movimento de resistência e defesa dos serviços públicos em saúde, composto por todos os sindicatos e órgãos envolvidos, como Sindconam, Coren-AC, Sindmed, Sinodonto, Sindfarm, Spate, Radiologistas, dentre outros.

Adailton ressaltou também que uma Assembleia Geral deverá ocorrer no próximo dia sete (quarta-feira) para decidir sobre a entrega dos plantões extras, uma paralisação das atividades, bem como o ajuizamento de ação e a manifestação contra o processo de terceirização da saúde.